Brasil e Mundo

CORTE SUPREMA

STF ordena buscas e mira militares da reserva e procuradores no inquérito sobre fake news

Operações também estão relacionadas com caso de censura

Por Redação*

16 de abril de 2019 | 09:10

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal autorizou dez operações de busca e apreensão em seis estados brasileiros nesta terça-feria, 16, no inquérito que apura a divulgação de fake news contra ministros da Suprema Corte, comandado pelo ministro Alexandre de Moraes, e que abarcou a censura do site O Antagonista e da revista Crusoé nessa segunda (15).

De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, militares da reserva que pregaram o fechamento do Tribunal e procuradores estariam na mira das operações, que recolheu computadores, telefones e documentos.

Os procuradores que acusaram o STF de pactuar com a corrupção prestarão depoimento.

No caso da notícia divulgada pela Crusoé, que cita um documento com troca de e-mails entre Marcelo Odebrecht, empresário e delator preso no âmbito da Lava Jato, e o ministro Dias Toffoli, serão ouvidos os procuradores que tiveram contato com o documento. Os ministros dizem que é preciso compreender o ‘timing’ da provocação que levou à menção e a forma e motivação do vazamento.

* Com informações do jornal Folha de S. Paulo

RECOMENDAMOS

PROGRAMAÇÃO

Seminário debaterá futuro da produção de petróleo no RN

TROCA DE TIROS

Vítima e suspeito ficam baleados em tentativa de assalt

PESQUISA

Pesquisa da UFRN está avaliando dores no ombro

AÇÃO POLICIAL

Bandido morre após troca de tiros com a PM

PROGRAMAÇÃO

Mundo Senai atrai grande público em Mossoró

AVALIAÇÃO

Gastos públicos com juros devem cair quase R$ 100 bi

TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

RN combate evasão escolar com Inteligência Artificial

SOM SEM PLUGS

Campanha arrecada instrumentos musicais para projeto

comentários