Brasil e Mundo

VIOLÊNCIA

Três detentos são mortos durante briga de facções em presídio

Outros três presos ficaram feridos na confusão

Por Agência Brasil

13 de maio de 2019 | 07:04

Uma briga entre facções no Centro Regional de Recuperação de Redenção (CRRR), no Pará, deixou três mortos e três feridos, nesse domingo (12), segundo informação da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe).

De acordo com a Susipe, o alvo era o preso Marco Aurélio Fileski, conhecido por Baiano. “Ele foi transferido da Bahia para Redenção, onde teria cometido homicídio, o que o levaria ao Tribunal do Júri, no próximo dia 14.

Segundo a nota divulgada pelo órgão, “Baiano” tinha suposto vínculo com a facção PCC e estava custodiado em uma cela isolada devido às ameaças recebidas.

As informações preliminares, dão conta que outros dois internos, identificados como Cícero Gomes Feitosa e Rai Souza Veiga, foram mortos e oferecidos como “brindes”, expressão usada entre os internos, quando um detento é executado para agradar uma liderança. Pois, um dos mortos era acusado da morte do irmão de um líder, que está custodiado no mesmo presídio. A Susipe informou também que cinco pessoas chegaram a ser feitas reféns, mas já foram liberadas.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Promotoria de Justiça, o juiz da comarca e a diretores da unidade prisional participaram das negociações. “Ao encerramento dos atos, na tarde deste domingo, uma revista geral foi realizada e será aberto procedimento disciplinar penitenciário”, diz a nota.

RECOMENDAMOS

PAGAMENTOS

Abono do PIS/Pasep começa a ser pago na próxima quinta

PRISÃO PREVENTIVA

MPCE pede prisão de médico que abusou de pacientes

MAIS PRA FRENTE

Liberação do FGTS é adiada, afirma Lorenzoni

SEGURANÇA

Polícia vai reforçar fiscalização nas rodovias do RN

SÃO JOÃO

"Festa do Sabugo" começa hoje em Parnamirim

OPORTUNIDADES

Sine oferece 150 vagas de emprego em todo RN

PRODUÇÃO ARTESANAL

Quinta-feira marcada por assinatura da Lei do Selo Arte

INVESTIGAÇÃO

Por bônus, grupo indicava mortos para app de transporte

comentários