Esportes

ATLETISMO PARALÍMPICO

Trinca brasileira arremata o pódio dos 100m masculino-T47, em Dubai

Brasil alcança a vice-liderança do Mundial,com 25 medalhas no total

Por Agência Brasil

12 de novembro de 2019 | 14:43

Petrúcio Ferreira bate recorde mundial dos 100m. Foto: Daniel Zappe/CPB/Exemplus

O paraibano Petrúcio Ferreira dos Santos roubou hoje (12) a cena no Mundial de Atletismo Paralímpico, em Dubai (Emirados Árabes Unidos): na semifinal, realizada nesta madrugada, Petrúcio Ferreira se tornou o atleta paralímpico mais rápido do planeta ao quebrar o recorde mundial com o tempo de 10s42, na prova dos 100m classe T47 (deficiências membros superiores). Depois, na grande final, o paraibano liderou a trinca verde e amarela no pódio. Petrúcio Ferreira foi medalha de ouro ao vencer a prova dos 100m T47 com o tempo de 10s44. A prata ficou com Washington Júnior (10s58) e o bronze com Yohansson Nascimento (10s69).

No final desta manhã, também teve dobradinha brasileira na prova dos 100m classe T11 (deficiências visuais): a paulista Jerusa Geber dos Santos faturou o ouro na prova dos 100m com a marca de 11s80 e a paranaense Lorena Salvatini Spoladores levou o bronze ao completar o percurso em 12s03. A prata ficou com a chinesa Cuiqing Liu (11s87).

Outros dois brasileiros conquistaram prata e bronze na prova masculina dos 100m T12 (deficiências visuais). Jefferson Marinho de Oliveira chegou em segundo lugar, com o tempo de 10s77, e o sul-mato-grossense Fabrício Júnior Barros Ferreira foi o terceiro colocado, com o tempo de 10s84. O vencedor foi o norueguês Salum Ageze Kashafali (10s54).

A maranhense Rayane Soares da Silva, que garantiu o primeiro ouro do Brasil no Mundial na última quinta (7), voltou a brilhar hoje (12) ao garantir a medalha de prata nos 200m classe T13 (deficiências visuais), com o tempo 25s22, atrás da ucraniana Leilia Adzhametova (24s35). O bronze ficou com a americana Kym Crosby (25s26).

Com as nove medalhas de hoje, o Brasil ultrapassou a Ucrânia e chegou à vice-liderança classificação geral, com 25 medalhas (nove ouros, seis pratas e dez bronzes). A China lidera com 40 (17 ouros, 16 pratas, sete bronzes) . A Ucrânia agora ocupa a terceira posição com 19 medalhas (nove ouros, cinco pratas e cinco bronzes).

RECOMENDAMOS

QUE SUSTO

Adolescente é resgatado após ser levado pela correnteza

IGC

UFRN se destaca em 1° no Estado e 4° no Norte-Nordeste

''DEUS E EU''

Leandro Borges faz show pela primeira vez em Natal

DECISÃO

TJRN barra lei que permitia táxis em faixas de ônibus

FUTEBOL INTERNACIONAL

Confira os confrontos das oitavas da Liga dos Campeões

MANUTENÇÃO

Telefone do SAMU não funcionará nesta terça em Natal

HISTÓRIA

Museu Câmara Cascudo é opção para passeio nas férias

BATE O SINO

Comércio de Natal amplia horário de funcionamento

comentários