Cotidiano

Alô, tradicional família brasileira!

Verdade ou Mentira: Netflix criando conteúdo impróprio para crianças? Saiba como controlar o acesso à plataforma

Animação LGBT com estreia em novembro está gerando polêmicas e preocupações entre os pais

Por Redação

31 de outubro de 2018 | 13:30

Desde o seu anúncio, em 31 de maio deste ano, a mais nova atração da Netflix tem sido alvo de polêmicas e está gerando intensos debates nas redes sociais. ‘Super Drags’, primeira série animada brasileira da plataforma de streaming, conta a história de três jovens, Patrick, Donizete e Ralph, que se transformam em drag queens super-heroínas e ‘espalham purpurina’ pelo mundo em defesa da comunidade LGBT. A série tem data de estreia marcada para o dia 9 de novembro e terá participação da cantora Pabllo Vittar.

Neste mês, após o lançado do primeiro trailer da animação, no último dia 19, uma série de fake news foi compartilhada entre grupos de bate-papo online e alarmaram as ‘tradicionais famílias brasileiras’, visto que muitas mensagens compartilhadas com o trailer tinham tom de alerta. Assim: “Pessoal que tem filho pequeno vejam o que a Netflix irá disponibilizar a partir de novembro. Tomem conhecimento e repassem para aqueles que desconhecem”. Nas redes sociais, muitos se apressaram em condenar  a plataforma e repassaram o “alerta” a todos os  pais e mães de suas listas de contato. As chamadas afirmavam que a animação pretende incentivar a homossexualidade em crianças.

O que foi ignorado e muitos ainda não sabem, no entanto, é que, apesar de se tratar de um formato comumente associado às crianças, que é o desenho animado, a Netflix já deixou claro que a série não estará disponível no catálogo infantil. Inclusive, após denúncia da Sociedade Brasileira de Pediatria, que pediu o cancelamento da série, a própria Netflix produziu um vídeo (veja abaixo) com uma das personagens para mostrar que o conteúdo é voltado para maiores de 16 anos e lembrar que a plataforma dispõe de catálogos específicos para cada público. Cabe ao responsável pela assinatura, configurar contas com o perfil de cada usuário. Se você não sabe fazer isso, continue lendo que a gente te ensina.

Mas como evitar que seu/sua filho(a) tenha acesso a conteúdo impróprio na plataforma? A gente te ajuda:

Ao criar uma conta na Netflix, o usuário tem a opção de montar até cinco perfis diferentes, dependendo do plano escolhido. Esses perfis, além de permitirem que mais de um usuário acesse o serviço ao mesmo tempo, também possibilitam uma experiência pessoal e individualizada, a partir das séries e filmes que mais gostam, ou a partir da classificação etária.

Para adicionar um novo perfil, basta acessar o menu “Gerenciar perfis”, na seção “Meu perfil” da página “Conta”. O usuário será direcionado para a tela “Editar perfil”, na qual podem ser alterados o nome do perfil, o idioma e também a classificação etária.

Além disso, dentro das opções disponíveis, o serviço possibilita deixar o perfil exclusivamente voltado para o público infantil. Para isso, basta selecionar a opção “Crianças”, na página de edição de perfis e escolher entre as classificações “Crianças de todas as idades” ou “Apenas crianças pequenas”.

Outra opção para os pais é adicionar um pin de segurança para restringir a reprodução de títulos específicos. A função “Controle dos pais” está disponível no menu “Configurações”, na seção “Conta”.

Desta forma, independente do que seja exibido nos demais perfis adultos, os pequenos só terão acesso ao conteúdo disponível dentro da faixa etária configurada pelos próprios pais. Problema resolvido!

Gostou desse post? Compartilhe!

RECOMENDAMOS

PARCEIROS

Bolsonaro participará de jantar com Trump nos EUA

ALERTA

Arboviroses: Sesap reforça orientação aos municípios

MAIS ORGANIZAÇÃO

Evento leva dicas de organização para shopping em Natal

ATUALIZAÇÃO

Governo atualiza cadastro e preocupa produtores rurais

MAIS VOOS

Azul Viagens anuncia um aumento de voos para Natal

DESESPERO

Yudi fica na mão de bandidos em assalto

SANÇÃO PRESIDENCIAL

Bolsonaro sanciona com vetos MP da Liberdade Econômica

PECULATO

Deputado é denunciado por desvio de R$ 2 mi da Câmara

comentários