Geral

INFLUENZA

Vírus da Gripe matou seis no RN neste ano. Sesap orienta como prevenir

Casos de influenza diminuíram em relação a 2018, diz Sesap

Por Redação

7 de maio de 2019 | 17:45

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou nesta terça-feira (7), o mais recente boletim da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) do Rio Grande do Norte. Desde o início deste ano até a semana epidemiológica 17, encerrada em 27 de abril, foram notificados 108 casos de SRAG. Esse número foi inferior ao registrado no mesmo período de 2018, quando foram notificados 146 casos de SRAG. No RN, foram confirmados sete óbitos por vírus respiratório, dos quais seis foram confirmados para influenza e um para vírus sincicial respiratório, que causa infecções das vias respiratórias e pulmões em recém-nascidos e crianças pequenas.

Do total de notificações, 49 casos foram confirmados por meio de exame laboratorial. Desses, sete correspondem ao vírus sincicial respiratório e 42 à influenza, sendo 35 referentes à influenza A H1N1, três à influenza A, um à influenza A não subtipado e três a influenza A sazonal H3.

Dentre os casos notificados em 2019, a VII Região de Saúde (Grande Natal) apresentou o maior número de ocorrências, seguida pela II Região (Polo Mossoró) e IV Região (Polo Caicó).

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção (crianças menores de 5 anos de idade, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais).

A Sesap reforça que para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como vírus influenza, é importante que, além da vacinação, sejam adotadas medidas gerais de prevenção, como:

  • Frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento.
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal.
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca.
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar.
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.
  • Manter os ambientes bem ventilados.
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza.
  • Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola etc.) até 24 horas após cessar a febre.
  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas).

RECOMENDAMOS

BENEFÍCIO

Caixa começa a pagar auxilio emergencial a pescadores

PROMESSA

Bolsonaro diz que manterá Camargo na Fundação Palmares

XADREZ

Polícia Civil prende homem por estelionato em Natal

PREVENÇÃO

Começa inspeção técnica em todas as barragens do RN

TRÍPLICE VIRAL

Campanha de vacinação registra seu melhor índice

CAUSA NOBRE

Júnior Groovador fará visita ao Varela Santiago

COMÉRCIO EXTERIOR

Acordo EUA e China não afetará relação com Brasil

DIA NACIONAL DO CEGO

No Dia do Cego, conheça algumas curiosidades sobre eles

comentários